28 anos.

27 de agosto de 2019

@pinterest

Decidi me sentar para pensar, refletir e escrever sobre o que é ter 28 anos. Olhando agora o blog, que começou faz um tempinho e que por muitas vezes foi o lugar onde eu vim para me expressar sem medo. Me peguei olhando as postagens antigas e notei que sempre escrevo (ou tento) escrever algo sobre mim e sobre a minha vida quando fico mais velha. Notei como é importante esse espaço pra eu me lembrar de tudo o que eu já vivi, de como mudei e como sou a mesma em muitas coisas. Tenho 28 anos mas me sinto muito da Jéssica que eu era aos 20 anos, só que agora eu sou outra. Confuso, mas é o que sinto. 

Descobri que sou uma mulher muito ansiosa, e que essa ansiedade pode me deixar doente. Descobri que preciso começar a me ouvir mais do que ouvir os outros. Descobri que posso sim ter responsabilidades de adulto pois eu sou uma adulta com muitas responsabilidades. Sim, eu tento todos os dias honrar tudo que me foi colocado ali pra resolver, fazer, criar... Da melhor maneira que eu consigo e posso. Descobri que eu amo fazer as coisas do meu jeito e quero que isso seja rotina, quero pintar muitas paredes na minha vida. Vou me casar. Vou sair de casa. Vou ter a minha casa. Do meu jeito. E do dele. Ainda amo o meso cara de 8 anos atrás, e em todos esses oito anos aprendemos muito um com o outro e a sermos um par. 

Estou fazendo planos mas pela primeira vez estou pisando no freio pois eu já me conheço e sei que todos esses planos não me fazem bem. Tô em contato com uma psicóloga pra me ajudar nessa minha ansiedade e em todo o meu processo, mas com calma. Pela primeira vez me sinto dona do meu dinheiro e isso está me fazendo muito bem, pois sei que esse controle vai me fazer realizar muitos desejos e sonhos. Crescendo todos os dias. Tendo atenção. Buscando concentração, conexão e desconexão. Respirando. Aos 28 anos a minha palavra é calma.

Sandy & Junior | #NossaHistória

22 de agosto de 2019

Google Imagens
Só sabe realmente quem viveu e quem tem história. Foi lindo! Mais do que a gente esperou, mais do que a gente sonhou. São tantos shows de Sandy & Junior na história da gente, tantas músicas na vida da gente, reviver tantos momentos da nossa infância, adolescência... Lembro de quando eu e minha irmã usávamos a Barbie e o Ken pra fazer um show com o cd rolando nas alturas, quando fiz minha mãe pagar não sei nem quanto em ingressos (várias vezes) pra poder ver vocês, quando já chorei pelo menino que não gostava de mim ou quando chorei apenas por emoção de tá ali, viva e ouvindo os irmãos com quem eu cresci e aprendi a amar. 


E um grande presente também foi poder viver esse momento com duas mulheres que fazem parte da minha vida e são amigas no sentido mais lindo e puro da palavra. Foram momentos lindos com elas que se emocionaram, gritaram, choraram comigo. Fui e sou feliz por vocês.Vamos aguardar os próximos. 


Gratidão por esse momento, mais uma vez! Amo vocês! 🔺🔻 

Sou blogueira

14 de julho de 2019

@pintrest

O que é realmente é ser blogueira? Que termo é esse que tomou até um sentido um tanto pejorativo de uns tempos pra cá pra muita gente? Isso foi e é algo que sempre estou parando pra refletir... Ser blogueira e o que uma blogueira faz. 

Pra mim ser blogueira sempre foi compartilhar. Compartilhar o que te faz bem, o que é legal pra você (ou não), dar sua opinião sobre algo útil, pra você ou pra outras pessoas. Ter um blog sempre foi algo que me ajudou muito no sentido de expressar o que sinto e o que vejo, não é necessariamente feito pra ser lido por alguém especificamente, muitas vezes o que é escrito aqui é pra você e somente pra você. Isso me lembra até um cena daquele filme bem bonzinho pra ver no final da tarde "Ela e os caras", quando se fala do blog "O Justiceiro do Povo", quando se fala que o blog não é pra ser lido, é pra ser escrito. Isso sempre me faz refletir, pra quem que o blog é feito.

Me paro pensando o motivo dos blog estarem morrendo, e só estarmos vendo todo esse universo que eram os blogs, indo para o Instagram. Mas aí vem a outra parte... Se o sentido do blog é se expressar e compartilhar, os instablogs também estão aí pra isso, então na verdade o que está rolando é uma transformação, um up nos blogs e no ser blogueira. Compartilhar o que se quer e o que se sente está cada vez mais natural e não é mais aquele bicho de sete cabeças de quando era na minha adolescência. Todo mundo hoje compartilha e não tem vergonha de se mostrar pela internet. Isso tem seu lado bom e também tem seu lado ruim, mas esse lado ruim é assunto pra se refletir em outro dia. 

Quando recebi o e-mail do Registro.BR sobre a renovação do domínio do meu blog, vim dar uma olhada aqui pra ver se eu deveria continuar com esse espaço já que também posso fazer algo parecido lá pelo Instagram... Mas depois de tudo que vi aqui, tudo que já escrevi aqui, lembrei do motivo pelo qual eu fiz esse blog há tanto tempo: foi pra mim. Então eu vou seguir, nesse momento tentando ser mais fiel a ele, por mim. O Ontem Escrevi foi feito pra mim, acima de tudo. Foi feito pra deixar aqui o que penso e ver o quanto eu já me transformei e o quanto eu ainda vou me transformar durante a minha vida. E eu sou grata por isso.

chegou 2019.

3 de janeiro de 2019

Imagem: @pinterestbr

Toda virada de ano a gente espera que os nossos próximos 365 dias sejam completamente maravilhosos. Esperamos super mudanças ou não, esperamos cumprir as tantas metas, esperamos guardar dinheiro, viajar... A maior certeza do mundo é que todo mundo vira o ano com muita esperança. Acredito que seja importante fazermos uma autorreflexão de como foi o nosso ano e mais importante ainda, as nossas escolhas. E a partir disso tudo, a gente vai ver o que precisamos mudar realmente na nossa vida. 

Nesse ano novo decidi não fazer tantos planos, e desacelerar. 2018 foi um ano em que não me respeite tanto, em relação a ter tempo pra mim, me cuidar e cuidar da minha saúde e alegria. Muitas vezes fazemos muitos planos e queremos abraçar o mundo com as mãos, e ficamos com tantas responsabilidades que acabamos não fazendo tudo do jeito que queremos, e isso deixa triste, ainda mais pra quem gosta de tudo perfeito e maravilhoso. Você faz tudo pela metade ou apenas por fazer. O melhor é fazer o que você pode fazer, tudo da melhor forma que você puder - sem fazer mal pra você, olhar pra aquilo ali e pensar como tá massa e você deu o seu melhor ali, e isso deixou de acontecer algumas vezes comigo. Então, a maior meta pra mim este ano novo sou eu. 

Esse ano tá vindo pra mim com muita expectativa de mudança, mudança de vida. Espero estar bem pra receber tudo com amor e tranquilidade. Ah, temos que pensar na gente mas não podemos esquecer dos amigos, se é que você me entende... Ninguém larga a mão de ninguém. 

Bem-vindo, 2019. 
 
Ontem Escrevi © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo :: design e código gabi