Pipa, RN.

21 de outubro de 2020


 

Pipa realmente é um paraíso, sem mais. Fomos para Pipa pela primeira vez e foram dias maravilhosos, conhecemos muitas praias incríveis, além do centro ser muito bom para passear e comer. Apesar de todos os protocolos sanitários, conseguimos passar bons momentos por lá. Vou contar um pouquinho de como aproveitamos dois dias e uma noite em Pipa. Logo antes de viajar, pesquisamos bastante sobre o local no Youtube e em sites de viagens. Reservamos nossa pousada pelo Booking.com, uma semana antes de pegar a estrada. Fizemos um pequeno roteiro também para não perder tanto tempo pesquisando o que fazer, e também compramos o ingresso do Mirante Sunset Bar pela internet, dois dias antes de irmos. 


Mirante Sunset Bar





 A gente paga pela vista mais do que tudo no Sunset, é realmente único. O ideal é chegar cedo para pegar um bom local, pois estão recebendo menos pessoas no momento. O preço é bem ok para o que o local oferece, pagamos R$101,00 por um balde de Heinkein e uma batata frita com bacon bem servida, valeu a pena. Lembrando que o ingresso do Sunset você pode comprar antecipado, pagamos R$64,00 para o casal.

Centro de Pipa 







O centro é um encanto, as ruas são super estreiras e bem arrumadinhas, muitos restaurantes e bares. É tudo perto e você consegue andar por tudo em menos de meia hora, tem uma pracinha bem simpática bem no centro. O ideal é andar sem pressa, conhecer tudo. Como ficamos duas noites, andamos por tudo várias vezes. Antes de irmos, vimos vários vídeos sobre o que fazer em Pipa. Esse aqui explica tudo bem direirinho.



É preciso atenção se você precisar andar de carro. Por essa razão, optamos por uma pousada bem na rua principal: Av. Bahia dos Golfinhos. Ficamos na Pousada Sol da Pipa, pagamos R$411,00 por duas diárias, incluindo estacionamento (fica bem pertinho da pousada). 

Comidinhas


Comemos no EL BODEGON um hambúrguer delicioso, uma pizza perfeita no PIZZARIA DA PIPA e almoçamos uma peixada maravilhosa no RESTAURANTE SOL DA TERRA. Destaque para as empanadas deliciosas no BOTECO ARGENTINO, fica bem no finalzinho da avenida principal. O centro também tem muitas sorveterias, tomamos sorvete numa Sorveteria Artesanal Real de 14.



Praias - Centro, Baía dos Golfinhos, Madeiro e Praia do Amor.









Praias lindíssimas, fiquei realmente encantada com todas que fomos. A minha preferida foi a Baía dos Golfinhos, a gente viu mesmo os golfinhos! Andamos por todas elas pela areia, você consegue caminhar por todas sem grandes problemas. O ideal é checar a tábua da maré pois quando ela está alta, você não tem como passar pela areia. A Praia do Amor é ideal para surfistas, muitas ondas fortes. Ficamos por lá já no finzinho da tarde, e de lá fomos ver o pôr do sol de uma duna pertinho, fomos caminhando. As praias são de uma beleza sem igual, a viagem já vale só de você conseguir tá perto de tudo isso.

Obrigada, Pipa. Voltarei mais vezes!


Pequeno Manual Antirracista, Djamila Ribeiro

20 de outubro de 2020

imagem: medium

Dez lições breves para entender as origens do racismo e como combatê-lo. Neste pequeno manual, a filósofa e ativista Djamila Ribeiro (
@djamilaribeiro1) trata de temas como atualidade do racismo, negritude, branquitude, violência racial, cultura, desejos e afetos. Em dez capítulos curtos e contundentes, a autora apresenta caminhos de reflexão para aqueles que queiram aprofundar sua percepção sobre discriminações racistas estruturais e assumir a responsabilidade pela transformação do estado das coisas. Já há muitos anos se solidifica a percepção de que o racismo está arraigado em nossa sociedade, criando desigualdades e abismos sociais: trata-se de um sistema de opressão que nega direitos, e não um simples ato de vontade de um sujeito. Reconhecer as raízes e o impacto do racismo pode ser paralisante. Afinal, como enfrentar um monstro desse tamanho? Djamila Ribeiro argumenta que a prática antirracista é urgente e se dá nas atitudes mais cotidianas. E mais ainda: é uma luta de todas e todos. (Google Books)

Depois que li esse livro muita coisa que eu pensava passou a ser ainda mais importante e a fazer parte da minha fala e da minha vida. Estamos vivendo um momento histórico, na verdade, há tempos precisamos nos posicionar e fazer valer a ideia é o ato de ser ANTIRRACISTA. É importante e necessário entendermos, refletirmos e lutarmos por isso.  Acredito que esse tenha sido o livro mais importante que li em 2020, e agradeço a Djamila por ele. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

29 anos.

9 de julho de 2020



Hoje não é um dia como outro qualquer, é 9 de julho. Sim, é o meu aniversário. Não só meu, mas de muitas pessoas amadas, em especial da minha amiga de vida Renata Cavlcanti, que tanto amo e confio. Esse dia me reflete renovação, esperança e mudança. A gente já aprendeu muito em 2020, um ano completamente diferente dos últimos que a gente viveu. Diferente pra todo mundo e pra mim ainda mais, pois eu finalmente consegui colocar pra frente alguns projetos que estavam em meu coração e na minha cabeça. O @educandojunto é um deles. Vê-lo crescendo, alcançando pessoas, impactando educadores de alguma forma é uma das maiores alegrias que já senti na vida. E sou grata por isso. Ver o @livroamigonline cheio de livros postados, fazendo contato com outros leitores é lindo. Voltei a ler como antes, e isso já valeu o ano. Minha relação com os meus está ainda mais fortalecida e verdadeira. Sou feliz por isso, pela vida, pela minha casa, meu casamento, minha família, pela saúde dos meus e pelas pessoas que amo, de antes e de agora. 29 anos. Gratidão.

Carnaval 2020, aquele cheio de aglomeração.

16 de junho de 2020



O carnaval de 2020 foi o primeiro na minha casa, com o meu marido, o carnaval com a volta para o endereço diferente. A gente sempre passou o carnaval junto, sempre se divertiu junto, nossa carne é de carnaval e o coração é igual, como diz o Moreira. Fevereiro é um mês colorido e animado, e a gente viveu esse tempo com alegria. A gente foi pra rua e subiu ladeira, comeu espetinho com farofa na saída da cidade, encotramos amigos. Fomos felizes. Muita gente junta e muita gente misturada. Olinda mandou chamar.





Mais um ano de Eu Acho é Pouco, mais uma no de vermelho e amarelo. Quem nunca pulou atrás do dragão não viveu Olinda no carnaval. O bloco é puro amor e quem é amigo, todo o ano se encontra. Esse ano, pela primeira vez, fomos juntos com outros amigos para o Elefante de Olinda, e foi lindo. Só posso dizer isso. Hoje, quando penso na quantidade de gente junta, suada, se empurrando pelas ruas apertadas, tenho saudades de quando a gente não tinha medo de gente junta. E fico feliz de ter vivido isso e torço para viver muito mais assim que possível.


                  


Aqui escrevendo especialmente sobre esses dois, na verdade, sobre ela. Yasmim. O par do meu grande amigo de vida e sempre, Leandro. Yasmim chegou e hoje eu digo que chegou e ficou. Amiga que falo todos os dias, que lembro dela, acho coisas "a cara dela", e conversamos sobre nossas alegrias e angústias. Sou grata a Léo pela vida dela na minha vida, e sou feliz por ter feito uma amiga  antes do carnaval, no carnaval e pra vida toda. Obrigada, fevereiro. 


 
Ontem Escrevi © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo :: design e código gabi