Por amor aos cachos

27 de abril de 2015



Não lembro do momento em que decidi jogar toda química fora e me deixar livre. Não lembro a última vez que usei um secador ou uma chapinha nos meus cabelos. Não lembro a última vez que me senti mal ou me senti feia com os meus cabelos.



Quando falo química posso até estar fazendo você pensar que era uma das muitas meninas que aderiram as escovas progressivas que tanto fizeram e ainda fazem sucesso. Mas não, nunca tive coragem de fazer. Não por falta de quem me encorajasse, não por falta de local ou de amigas que o fizessem. Eu não tive coragem. A ideia de algo que fosse tão sério, tão permanente me deixou assustada. Logo eu que fazia no máximo um relaxamento com produto pra criança e ficava me sentindo a mulher das químicas no cabelo... Mal sabia eu o que estava pensando... 



Não lembro exatamente quando, mas lembro que nem era ainda ensino médio, acredito que eu era 7ª série, hoje 8º ano quando falei para minha mãe que iria cortar meu cabelo bem curtinho e tirar tudo que estava meio liso. Minha mãe, como mãe maravilhosa que é, disse que tudo bem e aí fomos nós. A cabeleireira apenas cortou o que estava liso, quebrado ou seja lá o que ela achou no momento e pronto. Não fez corte em camada, não fez corte de volume, leveza, nada. Apenas cortou e me disse: "usa umas faixinhas até o seu cabelo crescer pra esconder..."

Eu não lembro onde vi, mas eu amassei, amassei, amassei, virei pra lá, virei pra cá e deixei meu cabelo o mais cacheado possível. Não ficou lá essas coisas todas, mas eu estava livre. Passei por uma transição. Hoje eu vejo isso. Naquele tempo só quis tirar aquela química da minha vida, eu era uma adolescente que queria mudança. E eu mudei. 



Já ouvi muito comentário feio pra mim, do tipo "vai cortar o cabelo!", "Não tem pente em casa, não?!" "Ei, Vanessa da Mata!" - esse é o preferido de todos. E digo a você, isso nunca me afetou. E o motivo é simples: ESSA SOU EU. E eu sou linda sendo eu! * colar de beijos *

E eu estou achando lindo essa onda de mulheres e homens que querem ser o que são, sim, pois nossos cabelos dizem muito de nós! Tá lindo essa vontade de querer se livrar desses apetrechos de salão que fazem a gente perder tanto tempo para sair de casa. Vamos ser livres!

Decidi isso faz tempo e cada dia tenho mais certeza e orgulho de dizer que sou uma cacheada com muito amor. 
Fotos: João Rogério Filho

0 comentários:

Postar um comentário

 
Ontem Escrevi © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo :: design e código gabi