Chapada Diamantina

27 de março de 2016


Após 2 anos, finalmente registrei aqui a minha viagem para esse lugar mágico. Como todos já sabem, me formei em Geografia. Logo, amo explorar, viajar e conhecer. Vivenciar. Em uma das excursões que fiz com a universidade fomos para o Parque Nacional da Chapada Diamantina, digo uma das pois fizemos várias. Como eu fui muito bobinha, criei o blog tarde e perdi de colocar aqui várias dessas viagens. Perdi muitas fotos mas estou tentando recuperar para fazer um apanhado de tudo que vivi durantes esses anos cursando Licenciatura em Geografia e vai ser válido. 

Acho que foi o lugar mais lindo que eu fui até hoje. E sendo dono de tantas riquezas, precisa ser cuidado com responsabilidade. 


De acordo com o Chapada Diamantina, o parque reúne variados atrativos naturais e culturais, no coração do Estado da Bahia. Roteiro certo para quem busca paz e tranquilidade ou para quem está atrás de história e aventura. A vasta Mata Atlântica, campos floridos e planícies de um verde sem fim dividem a paisagem com toques de caatinga e cerrado. Imensos paredões, desfiladeiros, cânions, grutas, cavernas, rios e cachoeiras completam o cenário de rara beleza da Chapada Diamantina. 

Inicialmente habitada pelos índios Maracás, a ocupação de fato da região remonta aos anos áureos da exploração de jazidas e minérios, a partir de 1710, quando foi encontrado ouro próximo ao Rio de Contas Pequeno, marcando o início da chegada dos bandeirantes e exploradores. Em 1844, a colonização é impulsionada pela descoberta de diamantes valiosos nos arredores do Rio Mucugê, e os comerciantes, colonos, jesuítas e estrangeiros se espalham pelas vilas, controladas e reguladas pela força da riqueza. 

A atividade agropecuária tomba diante da opulência do garimpo. Reduto de belezas naturais, a Chapada abarca uma diversidade grande de fauna e flora. São mais de 50 tipos de orquídeas, bromélias e trepadeiras, além de espécies animais raras, como o tamanduá-bandeira, tatu-canastra, porco-espinho, gatos selvagens, capivaras e inúmeros tipos de pássaros e cobras. O Parque Nacional da Chapada Diamantina, criado na década de 80 do séc. XX atua como órgão protetor de toda essa exuberância.




Para ir a Chapada é necessário fazer um roteiro, pois existe muito a se conhecer. Hoje já existem muitas agências que fazem pacotes de viagem para a Chapada, aqui tem algumas. Separei essa da Decolar.com pra vocês terem uma ideia. Lá é um lugar perfeito para quem é amante do ecoturismo.


Ficamos em Lençóis, um lugar super acolhedor ao lado do parque. Elegi a pizza de margerita de lá a melhor que já comi até hoje! Encontramos muitos turistas que buscam tranquilidade, mas também aqueles que gostam de aventura. A trilha da Chapada foi a mais difícil que fizemos, e olhe que fizemos umas mega complicadas. Mas vou te dizer, vale muito a pena. Tudo.




Essas duas lindas são minhas amigas da vida e companheiras. Monaliza e Jéssica. Amo. Saudade de viajar e explorar esse Nordeste lindo com vocês. Temos que viajar juntas, juntas com os nossos, mas ainda sim juntas.



O Parque Nacional da Chapada Diamantina precisa de cuidados e muito zelo. É um bem que temos que cultivar para e pelas gerações futuras. Isso é fato e não tem discussão. Pra você que já está sonhando com a sua viagem pra lá, aqui tem uma guia de preservação. Só adianto: não leve nada da Chapada pra casa, só recordações e fotos.






A Geografia, além de todos os aprendizados, me deu a oportunidade de viver lugares lindos. A Chapada Diamantina é um deles. Voltarei. Gratidão.





Pra saber mais: aqui e aqui :)

0 comentários:

Postar um comentário

 
Ontem Escrevi © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo :: design e código gabi